sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Tessitura Poética

Loucura

Eu posso qualquer coisa,
Eu faço.
E tudo se faz
ao verbo do Meu pensamento.

As eras, os tempos,
os acontecimentos,
tudo se faz,
acontece e fenece.

O ensejo criador que me move,
também cria a morte,
e lança os dados da sorte.

Sou o Deus criador.
Autor da loucura de viver
sob a certeza que se vai morrer.

2 comentários:

Malu disse...

E tudo se pode desde que se queira fazer...
Este fazer nada mais do que o tecer da VIDA.
Um poema muito intendo.
Amei o espaço

Alice disse...

Um poema forte...

Fica bem...